terça-feira, 11 de setembro de 2012

Borboleta-caveira (Acherontia atropos)



EXIF

1/8s, f/10, ISO800
Mode: A, Meter: Matrix, Flash, Auto WB
Focal: 180mm
Canon EOS 7D

A Borboleta-da-morte ou Borboleta-caveira será uma das mais belas e icónicas borboletas existentes. O seu nome deve-se à forma de caveira que as suas manchas assumem no dorso. Na mitologia grega Atropos era uma das três Moiras que traçavam o destino dos deuses, fabricando, tecendo,  e cortando o fio da vida a todos os indivíduos. Já o género Acherontia deriva do nome Acheron, um rio grego que na mitologia grega era conhecido como o rio da dor e era um dos cinco rios do submundo grego. Em algumas culturas acredita-se que ao avistar-se esta borboleta, algo de muito grave ou até mesmo a morte "visitará" quem a avistou. Todavia, trata-se um animal totalmente inofensivo.


EXIF

1/10s, f/11, ISO640
Mode: A, Meter: Matrix, Flash, Auto WB
Focal: 180mm
Canon EOS 7D


Muito pessoalmente, continuo a achar que a borboleta se devia chamar Borboleta-Darth-Vader, pois é precisamente o que a mancha me faz lembrar.Mas ainda assim, podemos fazer outras ligações desta borboleta-nocturna ao mundo do cinema: por exemplo no clássico "Silêncio dos Inocentes" a capa do filme pode-se ver um exemplar desta traça - veja aqui a capa do filme (http://cinnemaclassico.blogspot.pt/2010/09/o-silencio-dos-inocentes.html) As referências a esta borboleta são inúmeras no mundo da ficção, desde o videoclip dos Massive Attack - Butterfly Caugnt até aos romances de Bram Stoker e todas elas fazem uma clara ligação à morte.




EXIF

1/100s, f/13, ISO640, -1.3Ev
Mode: A, Meter: Matrix, Flash, Manual WB
Focal: 180mm
Canon EOS 7D

Esta borboleta pode atingir os 13 cm de envergadura e a sua distribuição nacional restringe-se ao sul de Portugal no Inverno e a todo o território no Verão. Durante o dia repousa em árvores e de noite é comum vê-las ao pé de colmeias em busca do mel. Ela consegue entrar na colmeia sendo apenas atacada à entrada da mesma mas sem consequências porque é resistente ao veneno das abelhas. Uma vez dentro da colmeia, ela não é importunada uma vez que liberta o odor das próprias abelhas.É uma das maiores borboletas da Europa e a lagarta que lhe dá origem é tão bela quanto a borboleta em si.Tem a particularidade de emitir alguns  "guinchos" quando irritada.

Já tinha publicado uma das lagartas no meu blog, no caso a amarela ( http://rlfocus.blogspot.pt/2012/06/especie-desconhecida.html ), agora deixo-vos outra lagarta mas desta vez a verde. Pode ainda assumir uma tonalidade acastanhada.

Um comentário:

Tânia disse...

Excelente "reportagem"! A primeira foto é uma verdadeira capa de revista!!!! É realmente bonita esta borboleta e o nome não lhe faz jus!