sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Alfaiate | Common Water Strider (Gerris Lacustris)




EXIF

1/25s, f/14, ISO 800, -0.7Ev
Mode: A, Meter: Matrix, Flash, Manual WB
Focal: 180mm
Canon EOS 7D

“Caminhar sobre as águas” é uma faceta geralmente atribuída a divindades, em particular a um episódio bíblico sobejamente conhecido. Contudo, se há aproximadamente 2000 anos fossem conhecidas as propriedades hidrofóbicas das patas do Alfaiate, talvez a história fosse escrita de maneira diferente.  :D
Muito antes deste episódio, já a natureza tinha criado este “milagre” em forma de insecto. Todos nós já nos perguntámos como conseguem e o que fazem, estas aparentemente inofensivas criaturas, andar à superfície da água. Na verdade o Alfaiate tem o corpo e as patas cobertos de pêlos minúsculos e esses mesmos pêlos estão revestidos por uma cera que impermeabiliza toda a superfície do animal.
Se a qualidade de “caminharem” sobre a água já se torna um feito por si só, o facto de o poderem fazer a 1,5 metros por segundo, torna-o ainda mais extraordinário. Imagine um ser humano a caminhar sobre a água a 270 metros por segundo sem sequer molhar o pé.



EXIF

1/60s, f/7.1, ISO 320, -1.3Ev
Mode: A, Meter: Matrix, Flash, Manual WB
Focal: 180mm
Canon EOS 7D
Para o efeito, a anatomia do Alfaiate - ou Sapateiro como também pode ser conhecido - ,  mais especificamente as suas patas assumem especial destaque nesta tarefa. O conjunto de patas intermédias servem de remo ou são propulsores para longos saltos sobre a água ou mesmo no solo, enquanto as patas traseiras funcionam como leme.



EXIF

1/30s, f/10, ISO 320, -1.7Ev
Mode: A, Meter: Matrix, Flash, Manual WB
Focal: 180mm, Dst: 1.1m
Canon EOS 7D

Esta agilidade e velocidade servem um fundamento: o Alfaiate é um predador por excelência. Pode caçar dentro de água ou à superfície mas os pequenos invertebrados que caem acidentalmente e ficam presos à tona são o seu principal alimento. As suas patas dianteiras são curtas e atarracadas e possuem garras fortes nas extremidades. Estas constituem uma das principais ferramentas do Alfaiate. As pequenas vibrações que se propagam pela água emitidas por um animal que se tenta libertar, são suficientes para que as patas dianteiras do Alfaiate as sintam e lhe transmita que há alimento por perto à espera de ser caçado. O “Caminhante das Águas” só tem que se deslocar rapidamente até ele, agarrá-lo com as patas dianteiras e perfurá-lo com o seu aparelho bucal em forma de agulha começando de imediato a sugar os interiores moles da vítima.


EXIF

1/50s, f/9, ISO 640, -0.3Ev
Mode: A, Meter: Matrix, Flash, Manual WB
Focal: 180mm
Canon EOS 7D

Nenhum comentário: