terça-feira, 4 de outubro de 2011

Cobra-rateira (Malpolon Monspessulanus)



1/2s, f/4, ISO800, +0.7Ev
Mode: A, Meter: Matrix, No Flash, Manual WB
Focal: 150mm
Canon EOS 7D

Este é um juvenil de Cobra-rateira, a maior cobra da Península Ibérica e uma das mais comuns neste território. Trata-se de um animal com hábitos diurnos ou crepusculares caçando activamente pequenos roedores, lagartos, aves e outras cobras. Os indivíduos de maior tamanho podem atingir mais de 200 cm e alimentar-se ainda de coelhos. Os juvenis, como é o caso do exemplar fotografado, apenas se alimentam de insectos, sendo que o próximo passo são pequenas lagartixas.
A cobra-rateira possui um potente veneno neurotóxico, contudo não representa perigo para o Homem pois trata-se de uma espécie Opistóglifa, ou seja, as presas inoculadoras do veneno são bastante pequenas e ficam numa posição bastante interior da sua boca.
Para fotografar este animal, a melhor altura é o final do dia quando a temperatura baixa e elas ficam menos activas. Durante o período de maior actividade, sopram num tom ameaçador e mordem com frequência.Podem encontrar-se numa grande variedade de habitats, desde as zonas estepárias a bosques com vegetação densa, sendo que esta foi encontrada perto de uma habitação.

3 comentários:

Monique et Daniel disse...

Toujours très beau!
La très faible profondeur de champ crée un formidable effet! au premier coup d'oeil, on ne sait pas de quoi il s'agit!
Photo très réussie!

Bio-Quê? disse...

que fotão!!!
e que espécie :)
parabéns
TM

Isabel Braz disse...

O olhar da serpente???
Um trabalho verdadeiramente lindo!!!
Parabéns Ricardo ;)