domingo, 4 de abril de 2010

Hidrohide - Abrigo Flutuante



Um fotógrafo de natureza deve ser na sua essência multifacetado. Para além dos aspectos técnicos relacionados com a fotografia em geral e aspectos mais específicos relacionados com a fotografia de natureza, o fotógrafo de natureza tem de ser, por força das necessidades, um naturalista, um biólogo, um zoólogo, um atleta, um artista plástico, um designer, um carpinteiro, um mestre de bricolage, etc,etc...Todas estas disciplinas serão úteis ,mais tarde ou mais cedo, num determinado projecto de fotografia de natureza.

Na disposição de fotografar aves aquáticas e após alguma investigação, percebi que o ângulo com que se faz a fotografia deste tipo de aves é fundamental no impacto que as imagens captadas podem ter. Assim, ficar ao nível das aves na momento de disparar o obturador parece-me imperativo para conseguir os melhores resultados.

Neste sentido, há duas maneiras de ficar ao nível das aves (ou da água): uma, utilizando um hide com pouco volume que pode ser improvisado com 2 ou 3 pedaços de alumínio e umas redes de camuflagem, chamado de Tumbihide; ou outra, ainda mais ambiciosa utilizando um hide flutuante que permite ao fotógrafo estar mais confortável e deslocar-se à procura das espécies, chamado Hidrohide.

Apesar de utilizar o Tumbihide, foi no Hidrohide que concentrei as minhas atenções pelos resultados que encontrei na Internet, utilizando este método. Assim, as próximas linhas explicam o processo de criação deste Abrigo flutuante- o Hidrohide.



Muitos perguntarão se o projecto à frente descrito e tendo em conta que envolve alguns custos, é justificado pelos resultados? A resposta pode ser dada por si ao observar as seguintes imagens.




Uma das imagens foi tirada num abrigo normal a aproximadamente 1,20 m do solo e a outra foi tirada ao nível da água a aproximadamente 15 cm do solo. Não é preciso estar muito atento para perceber que o fundo totalmente desfocado da segunda foto isolando o motivo, torna a fotografia muito mais impactante.

Vantagens do Hidrohide:

- Conforto do utilizador;
- Mobilidade do mesmo;
- Bokeh que se consegue fotografando deste ângulo;






Material de Desgaste

- 8 Placas de esferovite azul (p/ isolamentos) - (Comprimento125 cm Largura 60 cm Altura 3 cm) (8*3.5 € =28 €)
- Cola própria para esferovite (1 litro) (9.90 €)
- 2 placas de MDF – (Comprimento - 125 cm Largura 60 cm Altura 1 cm) (2*8 €= 16 €)
- 2 placas de MDF – (Comprimento - 125 cm Largura 60 cm Altura 2 cm) (2*12 € = 24 €)
- 5 ferros roscados inox (Diâmetro 6 mm – Comprimento- 1 m) (5* 0.50 = 2.50 €)
- 3 varas em aluminio ( Espessura - 2 mm Comprimento 2 m Largura 2 cm) (3*4.40= 13.20 €)
- Bondex (Protecção para intempéries) (12.95 €)
- Diluente (8 €)
- 3 dobradiças INOX (9.90 €)
- 1 dobradiça zincada (0.60 €)
- 14 porcas travadas (14 * 0.15 €= 2.10 €)
- 14 anilhas zincadas (14* 0.20 €= 2.80 €)
- 14 anilhas borracha isolantes (14* 15 € = 2.10 €)
- 26 porcas de orelhas (26* 0.09 € = 2.34 €)
- 12 parafusos ( Comprimento - 1 cm Diâmetro 6 mm) (12* 0.10 €= 1.20 €)
- 48 parafusos madeira (3 cm) (48*0.06 €= 2.80 €)
- Redes de Camuflagem ou Cobertura Camuflada ( Ex. Tecido do Hide fixo)
- 20 grampos de aço inox (20*0.05 = 1 €)
- 2 puxadores (ex. Puxador de porta) (2*2 € = 4 €)
- Barra de Ferro Trabalhada por : Conceito Sigma(Comprimento - 80 cm Altura - 5 mm Largura – 3 cm) (?)
- Parafuso de 3,5 polegadas (p/ base do tripé) (0.40 €)
- Molas (2 €)
- 6 Ferros em L com 8 cm. (6* 0.50 € = 3 €)

Custo Total*: 148.79


*Não estão incluídos os preços da Barra de Ferro para apoiar a cabeça do tripé que foi oferecida pela empresa "Conceito Sigma", a cobertura camuflada que já dispunha e todo o material que não é de desgasta que tive que adquirir para terminar este projecto.

Material

- Berbequim
- Brocas madeira 6 mm
- Brocas ferro 6 mm
- Serra Tico-Tico
- Pincel
- Lixadeira
- Martelo
- Alicate
- Alicate de Pressão
- Máquina de Soldar
- Rebarbadora
- Aparafusadora
- Lima
- Lixa
- x-acto



Construção Passo a Passo


1º Cortei o esferovite criando um L com cada uma das 8 peças.

2ª Utilizando a cola apropriada para esferovite, uma vez que a cola normal queima este material, colei os L ´s em conjuntos de 4 peças formando dois blocos com uma altura de 12 cm.

3º Cortei as 4 peças de MDF com as mesmas medidas do esferovite colocando duas em cima e duas em baixo.

4º Furei as placas de esferovite e as placas de MDF em 14 zonas, com brocas de 6 mm.

5º Inseri nesses orifícios os ferros roscados de 20 cm cada um.

6º Aparafusei a cada um desses ferros (na parte de baixo do hide) duas anilhas isolantes apertadas com uma porca travada.

7º Aparafusei a cada um desses ferros, em cima, duas anilhas isolantes apertadas com uma porca de orelhas.

8º Apertei as dobradiças unindo os dois L´s invertidos num bloco em forma de U.

9º Apliquei 3 mãos de Bondex nas placas inferiores de MDF.

10º Aparafusei os ferros em L à extremidades do Hide para depois aparafusar as barras de alumínio.

11º Aparafusei as três barras de alumínio aos L´s fixados no passo 10, a fim de criar o suporte para a cobertura camuflada.

12º Cortei e soldei o ferro onde será fixada a cabeça do tripé.

13º Soldei o parafuso de 3,5 polegadas ao ferros do passo 12 para enroscar a cabeça do tripé.

14º Aparafusei a peça criada através dos passos 12 e 13 ao Hide.

15º Coloca-se a cobertura camuflada devidamente esticada com pinças.

16º Faz-se um teste num tanque, piscina ou pequeno lago antes de o levar a fotografar.



CONSTRUÇÃO


Construir um Hidrohide foi um desafio que, inicialmente, me pareceu algo complexo Depois de pesquisar na Internet alguns modelos já existentes, rapidamente percebi que a tarefa ia ser árdua e que nenhum dos modelos se enquadrava na perfeição com as minhas necessidades.

Precisava de um Hidrohide com uma área de flutuabilidade considerável , que oferecesse segurança para as largas centenas de Euros que transportariae, por fim, que fosse prático para transportar e operacionalizar no terreno.

Todo o processo começou com a compra das três placas azuis de esferovite e algumas experiências com as mesmas. A partir do momento em que se cortam e colam as placas azuis e o Hidrohide começa a ganhar forma, a melhor estratégia passa por esquematizar na nossa cabeça cada parte do Hidrohide e o método para as criar sem colocar em perigo as funções e garantias de cada uma delas.

A segunda tarefa é colocar as 4 placas de madeira “ensanduichando” as placas azuis. Estas placas de madeira têm como função dar peso ao Hidrohide, o que lhe irá conferir alguma estabilidade.Servem também para prensar as placas de esferovite dando “corpo” à estrutura. As placas de madeira também assumirão um papel importante na união das metades do Hidrohide através das dobradiças e servindo de base para a fixação do apoio em ferro onde se aparafusará a cabeça do tripé.

A união do Hidrohide foi efectuada com 3 dobradiças em aço inox impedindo que ganhe ferrugem. O Hidrohide deverá ser unido em baixo, abrindo para cima tendo em conta a pressão da água que obrigará o Hidrohide a manter-se sempre aberto. As placas de madeira devem ser pinceladas com “Bondex- Intempéries” tornando-as impermeáveis. Aliás, todo o material utilizado no Hidrohide, apesar de aumentar consideravelmente o custo do projecto, deverá ser resistente às propriedades oxidáveis da água, ou então, impermeabilizado.

No terceiro passo preocupei-me com o apoio para a estrutura em alumínio que suportaria a cobertura camuflada. Não podendo ser fixa por causa do transporte, optei por três barras flexíveis e amovíveis que são aparafusadas à base do Hide. Pensando na forma que desejei para o projecto, cortei as barras com diferentes tamanhos e furei-as nas extremidades, criando um método simples e rápido de serem aparafusadas com 6 parafusos de 5 mm e 6 porcas de orelhas.


Finalmente, para a cobertura optei por utilizar o tecido da meu hide que comprei numa loja da especialidade, contudo, numa solução futura criarei uma cobertura adaptada ao tamanho do Hidrohide.


Como todos estes passos podem assumir na sua cabeça uma configuração abstracta e sabendo de antemão que a descrição pormenorizada deste projecto, podia afundá-lo em pormenores técnicos que não saberia resolver, decidi adicionar ao artigo algumas imagens que ilustram o que foi descrito e que o podem ajudar a perceber a ideia geral. Se porventura, não perceber algum passo, não hesite em contactar-me. (rlourenco82@gmail.com)







Construção




Pormenores







Hidrohide - Panorâmica






Hidrohide - No carro




Hidrohide - No terreno




Hidrohide - Na água














Em breve, publicarei um post relatando as primeiras três experiências com o Hidrohide, acompanhando com fotografias tiradas utilizando este método.

Apoio:


8 comentários:

S.Esteves disse...

Boas Ricardo,
Parabéns, sem dúvida que valeu o esforço, grandes fotos.
A parte de andar com o corpinho na água, é que foge um pouco á ideia que eu tinha desse tipo de equipamento, ( pensava que era um pneumático adaptado).

Jorge Casais disse...

eu achei um pouco complicado montar isso. mas que está impecável está!!!

gds fotos se podem fazer com ele.
e o o fato? é um fato normal de mergulho?

abraço

João Santos disse...

Excelente o hidrohide!
Parabéns pela iniciativa!

Mónica disse...

Muito bom, obrigada por partilhar conosco.
É preciso coragem! :)

Miranda disse...

Parabéns bela "Canoa"!

Tanto esferovite e roofmate parece as minhas construções de aeromodelismo, com a diferença que essa não voa! ;)

Sugestão: E que tal automatizar/controlar isso à distancia? Com a electrónica de radio-modelismo era relativamente fácil, o problema era o enquadramento dos motivos na foto...

Agostinho Gomes disse...

Espectacular ideia!

Daniel Ludgero disse...

Boas Ricardo
Que tal está o MDF que entra em contacto com a agua???
Ainda ta capaz?

Quando falas que usaste a cobertura do abrigo fixo, é da tua tenda ne?
se for sendo assim aproveitas para as duas coisas

Cumps
DanielLudgero

Ste Lov Pflu disse...

Lo maximo!! buena idea, exitos!